Categorias: Bebê, Criação com apego, Desabafos, Dicas

Posso maternar do meu jeito?

posso maternar do meu jeito?

Esses dias vi alguns posts sobre ser mais ou menos mãe, sobre a culpa, sobre como educar e cuidar de seus filhos. Concordei com alguns e discordei de outros, graças a Deus tenho minha opinião e RESPEITO a opinião dos outros. Não me acho melhor do que ninguém, não acho que sou dona da razão, sou mãe de primeira viagem e estou sempre disposta a aprender. Mas posso maternar do meu jeito?

Ainda não posso falar muito sobre educação e afins dos filhos, pois Clara tem pouco mais de 2 meses, mas por enquanto percebo que o que não falta são palpites e gente achando que estou errada ou certa.
Eu por vontade própria comecei a amamentá-la em livre demanda, sem antes saber se era certo ou errado. Até que descobri em alguns artigos que a estória de mamar a cada 3 horas é algo do passado … Aqui em casa é chorou, mamou e acreditem, sou criticada por isso.
Maria Clara está crescendo e se desenvolvendo muito bem, recebemos parabéns do Pediatra, ela é um bebê grande pra sua idade, mas eu e o Marido somos altos (1.79 e 1.86 respectivamente) nunca imaginamos que nossa filha seria pequena, até aí tudo bem.
Mas vocês acreditam que eu tenho que ouvir:
Ela está gigante! Também, você dá peito pra ela toda hora, lógico que ela vai ser gigante!
Eu respiro fundo e falo:
– Sim, eu deixo ela mamar toda hora que quer!
Eu não costumo deixá-la chorando no berço, no carrinho ou em qualquer lugar, não gosto de vê-la chorar desnecessariamente. Por isso sou obrigada a ouvir:
– Você está criando um monstro, ela vai te dominar.
Eu respiro fundo e falo:
– A vida é cruel em alguns momentos, minha filha já vai chorar por vários motivos ao londo de sua vida, porque tenho que deixá-la chorar enquanto bebê?
Ela não dorme sozinha, ela dorme ou no peito ou quando eu a nino em meu colo cantando cantigas de ninar. E por isso ouço:
– Quando ela estiver mais pesada você não vai aguentá-la.
Eu respiro fundo e falo:
– Ela já está pesada, eu já sinto dores nas costas, mas gosto de fazê-la dormir assim.
Acho incrível como as pessoas gostam de nos criticar. Eu não reclamo pra ninguém se durmo pouco ou não, se estou cansada ou não. Ainda não fiz cara feia pro meu Marido e pra ninguém por cuidar da minha filha.
Cuido dela com amor e prazer.
O que mais ouvir das amigas enquanto estava grávida foi: Aproveita pra descansar, dormir e curtir o Marido.
Segui o conselho de todas elas: dormi bastante (pelo menos o quanto a barriga deixou rsrs), descansei (dentro do possível) e sim, curti meu Marido.
Digo pra todo mundo: Ser mãe não é fácil. Cansa e cansa muito, mas eu me preparei pra isso.
Em nenhum momento eu achei que minha filha iria dormir a noite inteira, que minha vida sexual seria como quando éramos só Marido e eu, eu não idealizei um sonho irreal.
Eu sonhei, sonhei mesmo, mas sonhei com minha família, com minha filha de forma real, de carne e osso.
Sonhei com as fraldas sujas de coco, com as noites em claro, com as crises de cólica, com o primeiro sorriso, o primeiro engatinhar… Sonhei com as coisas boas e as ruins, afinal o que sempre falo aqui é que VIVO UMA VIDA REAL E NÃO UM CONTO DE FADAS.
Marido e eu juntos conseguimos manter nosso casamento maravilhosamente bem, conversamos quando necessário e estamos cada vez mais apaixonados com nossa vida, por nossa filha. O ritmo mudou? Claro que mudou, mas nem por isso ficou ruim e chato.
Minha vida mudou? Sim, mudou … mas isso eu também já sabia que aconteceria. Minha vida mudou desde minha gravidez: Eu parei de fumar meu maço diário, parei de beber socialmente, parei de usar meus megas saltos e isso são coisas que não faço mais por enquanto.
Gente, tudo na vida, ou melhor, quase tudo precisa de um certo sacrifício ou dedicação, tudo depende do ponto de vista. No momento, me dedico pra  minha filha, que é alguém que desejei, planejei e esperei por 39 semanas.
Se serei escrava dela porque não a deixo chorar, faz parte. Na hora certa, quando ela entender e estiver fazendo manha ou merecer uma bronca bem dada, ela irá receber, pois educação é algo fundamental no desenvolvimento do ser humano. Posso estar errada, mas não acredito que um bebê de pouco mais de 2 meses consiga ser tão “maquiavélico” pra conseguir pensar em chorar pra e fazer de escrava.
Minha filha não está “gigante” porque eu a amamento em livre demanda. Existe genética. Na hora certa, quando começarmos com a introdução dos alimentos, aí sim será a hora de ensiná-la sobre alimentação saudável, controlar peso e etc. Por enquanto ela está se alimentando com o melhor alimento pra ela, o leite materno.
Eu tomo banho todos os dias (ahhahahaha é o mínimo, né?), lavo e seco meus cabelos, me maquio, me arrumo todos os dias. Lógico que não uso salto por motivos óbvios, sou estabanada, carrego uma bebê no colo, não rola, né? Sou feliz, estou realizada e transmito isso pra minha filha e sinto que ela sabe que é amada por mim. Acredito que por isso ela é tão boazinha, calma, tranquila.
posso maternar do meu jeito
E com vocês? Como tudo funciona por aí?
Beijos

Comentários